Um estudo norte-americano demonstrou que o risco de cancro da mama desce vertiginosamente após o abandono da terapia de substituição hormonal.

Investigadores norte-americanos descobriram novas evidências que apontam para uma relação entre a terapia de substituição hormonal (TSP) e o cancro da mama. Na realidade, o estudo desenvolvido por estes cientistas permitiu demonstrar que o risco de doença oncológica da mama desce vertiginosamente após o abandono do tratamento. Para este trabalho, cujo relatório foi publicado no New England Journal of Medicine, foram acompanhadas 15 mil mulheres que se encontravam a tomar estrogénio e progestina e que, posteriormente, foram aconselhadas a largar a medicação. Foram ainda analisadas outras voluntárias que permaneceram com o tratamento. No primeiro grupo, a incidência de cancro da mama reduziu 28% após o fim da terapia de substituição hormonal. No segundo grupo, após cinco anos de TSH, o risco de cancro duplicou.

Fonte: Tribuna Médica Press. Fevereiro, 5, 2009.

Anúncios