A realização de exames de rotina ou simples check ups para evitar as surpresas desagradáveis são medidas simples para a prevenção de doenças. As mulheres, mais que os homens, sabem muito bem disso e periodicamente efetuam exames, por exemplo, ginecológicos e laboratoriais, como forma de se cuidarem. E isso também deve ser uma regra para os homens, que desde os 20 ou 30 anos de idade, tem que se prevenir e cuidar da saúde, em cada fase da vida, sem esperar que os sinais de alerta surjam de maneira indesejável e comprometam sua saúde.

Uma simples análise de sangue, o conhecido hemograma completo, o exame de urina e fezes ajudam muito na identificação de doenças comuns, como processos alérgicos, infecções, alterações de glóbulos brancos e plaquetas, a anemia ou verminoses e até mesmo uma diabetes, no teste de glicemia. Algumas doenças sexualmente transmissíveis e de alta incidência entre os homens, HIV, sífilis, também podem ser descobertas na análise laboratorial.

É fundamental também para o homem a partir dos 40 anos, caso não perceba alteração antes, efetuar exames relacionados à prevenção das doenças da próstata, diagnosticadas com muita freqüência e alcançado altas taxas entre a população masculina, segundo a Organização Mundial de Saúde.

O homem ainda tem preconceito e medo de se submeter ao exame clínico (o toque retal), para o diagnóstico do câncer de próstata e, consequentemente, também não faz a dosagem do antígeno prostático específico (PSA, sigla em inglês), que podem sugerir a existência da doença. Como complementação diagnóstica o médico pode ir além e, se necessário, solicitar a ultrassonografia pélvica e poderá indicar ou não a realização de uma biópsia prostática transretal.
E mais, o homem assim como as mulheres, também tem sua fase madura, a andropausa, que provoca a diminuição gradativa do hormônio masculino. O exame de testagem do hormônio testosterona livre, por meio da coleta de sangue comprova a nova era.

Criar uma rotina para uma consulta e a elaboração destes exames preventivos, a periodicidade caberá ao médico definir, anual ou de três em três anos ou semestral ou conforme histórico familiar são excelentes formas de se cuidar e se amar.

Fonte: Corpo Saun. Agosto, 5, 2009.

Anúncios