boca-227x300Os casos de câncer oral em pessoas na faixa dos 40 anos de idade aumentaram nos últimos dez anos, no Reino Unido. Entre o sexo feminino o aumento foi de 24% e entre os homens de 28%, conforme dados do Cancer Research UK. A doença está mais evidente também entre a faixa que vai de 55 aos 60 anos.

Apesar de o tabagismo ser o principal fator de risco para o câncer oral, dentre esta população adulta, os dois fatores que contribuem diretamente para o crescimento da incidência da doença são o aumento do consumo de álcool e a contaminação pelo Papiloma Vírus Humano (HPV). Somados ainda está a má alimentação dos que vivem nos países do Reino Unido.

Na população brasileira também há registros no aumento de casos de doença, embora mais grave e com mais frequência em pessoas com até 40 anos e não na população mais velha como no Reino Unido.

Os especialistas ainda não sabem reconhecer quais as principais causas para o problema. No Brasil, ao contrário do que ocorre no exterior, os pacientes diagnosticados com a doença consomem menos álcool e em sua maioria não fumam. E o câncer da base da língua está mais relacionado com o HPV do que o da boca, segundo informações do Instituto do Câncer de São Paulo.

A doença assusta, mas os oncologistas alertam que esses tumores têm prevenção, como por exemplo, o uso de preservativos e podem ser tratados aos primeiros sinais de alerta.

É importante estar atento se ocorrem feridas na boca constantemente, se persistem por algumas semanas, se há sangramento e secreções. Outros fatores como lesões na língua, alteração na fala e na deglutição e ínguas no pescoço também são sintomas que podem indicar a doença. A consulta ao médico deve ser imediata e não se deve esperar o agravamento do quadro clínico.

Fonte: Corpo Saun. Agosto, 26, 2009.

Anúncios