Por Ricardo Menacker

De alguma coisa a gente tem de morrer: do coração, susto ou atropelamento. De outra forma, desculpas, eu me nego a ir.

E foi. E fui. E foi hoje o dia de dar adeus a Neide. E fui procurar buracos, qual covas, para abrigar minhas tristezas no cemitério. E brigar comigo uns tantos porquês. Este momento de pendurar uma lápide e dar conforto a gente tenta protelar por muito chão, chão de milhares de milhas, sabe? Puro egoísmo para tomar cervejas em botecos de esquitas. E jogar conversa fora. Saudades das cervejas que nunca tomei … Boa hora para começar a tomar uns tragos, não? A gente tem de ser forte. E quando não é? Veste armadura? Dura caminhada …

Cada um que se esvai do sumo terrestre por derrota da doença que muitos evitam citar o nome, dá-me mais forças para ir adiante pelos que aqui ainda pisam e dobram a danada com gravata de braço forte. Faz sol, dia lindo para florir este rosto. A caminhada pede mais chão. Vou ruminar na praia os chinelos em algum percurso para devaneio, antes que um telegrama de desvanecimento bata à porta FULANO SE FOI VG 9H AREIA BRANCA. Mas a gente quer fulano que fique. Não vá. É tão cedo, Fulano. Tome mais um café, quero dizer, uma cerveja! Essa é a saideira, Fulano! E ficamos. E há sorriso, mas não temperança. Bebemos até perder o chão e trançar pernas.

É auto do infinito tecer lágrimas de saudades. É aliança de forças e formas da vida misturar no cadinho a couve da vida. Viver. Já a planta, a couve, é da família das crucíferas, Brassica oleracea, comestível, de folhas largas e grossas e flores brancas ou amarelas e tem entre suas variedades, além da própria couve, a couve-flor, Botrytis, o repolho, Capitata, e o brócolis, Italica. Todos com propriedades anticancerígenas. Anti. Não comeu o que pedi. Não deu ouvidos, cabeça-dura e teimosa Neide!

Anti-saudade. Tem comidinha pra saudade? Tempo! Vou havaianar na praia. No tempero das ondas minhas queixas afastar Iemanjá vai. A ordem justifica o momento. Auto do infinito no éter e balão. Sobe, estrastosfericamente sobe, sobe em He, coluna 8A, nobre, nobres sentimentos. Forte, dura, sensível, brava guerreira, honesta, trabalhadora, amiga, amiga … Saudades, Neide. Adeus, Neide.

Anúncios