Por Ricardo Menacker

Durante os últimos dias visitei alguns dos pontos iluminados em rosa para a Campanha Outubro Rosa na capital paulistana. Muitos dos pontos não estavam mais iluminados, como o Monumento das Bandeiras ou o Prédio da Bolsa de Valores, importantes marcos da cidade. Numa esquina da Oscar Freire, a surpresa foi ver a fachada verde. Havia uma oscilação de cores entre verde e vermelho, mas não rosa. Câmera na mão a alguns pés do assunto esperando o sinal vermelho, a cor vermelha, meu sinal verde para disparar o botão da máquina. Vermelho estaria mais próximo de rosa … Um amigo me acompanhava no percurso a pé, enquanto uma amiga guiava o carro, estacione aqui, não ali. O amigo perguntou para a gerente do estabelecimento qual porquê da falta do rosa na vitrine e a resposta foi: “iluminamos para o evento, mas se vocês quiserem fotografar, a gente muda pro rosa de novo, é só avisar antes“, disse a gerente. No caso do monumento, a quem devemos perguntar? Prefeitura, Governo do Estado?

Como uma onda que perde força ao chegar na praia, pareceu o final da campanha importada por FEMAMA. A própria instituição peca em responder emails. Entrei em contato com FEMAMA diversas vezes. Desde o dia 27 de setembro havia pedido um logotipo oficial da Campanha Outubro Rosa para colocar no blog. Voltei a pedir o logotipo no primeiro dia de outubro. Nunca chegou … O que usei no Blog durante o mês foi encontrado na rede e editado em Photoshop para o tamanho necessário. Numa das poucas respostas que tive, fui informado que deveria ter um contrato com FEMAMA para usar a identidade visual de Outubro Rosa, e pedi o tal contrato no mesmo dia, primeiro de outubro. Outubro ficou para trás e … nada! Para obter o itinerário do Rosamóvel nas cidades do raio de atuação do evento também não obtive sucesso pedindo a cooperação de FEMAMA. Nunca responderam perguntas … é falha de comunicação? Não, de fato não é. É falta de atenção. Ou profissionalismo. Até o nome do Presidente Juscelino Kubitschek tinham grafado de forma incorreta em release que recebi, no próprio site da instituição encontrávamos “Memorial Jucelino Kubchek”. Dou conta de chamar este erro de despreparo, seria mais simples anunciar apenas Memorial JK já que não tiveram a devida atenção para revisão de texto. Só consertaram a página depois que a alertei do fato. E, verdade dita, nem “muito obrigado” constava em resposta, ao contrário, o tom era rude, coisa de esperar da profissional que não cumpre a tarefa a que foi incumbida. Quanto ao itinerário, bem, através de pesquisas na rede descobri a agência de propaganda que atendia a instituição e mandei mensagem pedindo o roteiro Rosamóvel. Fui atendido pela agência de propaganda. Sobre as alterações de itinerário, foram as instituições locais que me ajudaram a trazer e traçar informações mais precisas. FEMAMA não passa de uma sigla organizada numa cadeia de ações desorganizadas para me responder questões simples.

Talvez pensem que por ser homem não devo receber atenção. Sabe-se lá. Certamente ter a madrinha da campanha, Eliana, usando dedinhos em coquetel deve ser mais importante que informar hora e locais corretos do Rosamóvel nas cidades atendidas. Sim, a moça tem projeção nacional. As globais no Cristo tem projeção nacional. Nós somos apenas trabalhadores diários da questão. E o que me motiva a escrever o texto são mensagens que recebi. Um rapaz oferecia a força de 33 pessoas, uma moça foi ao local indicado e Rosamóvel lá não estava … imediatamente entrei em contato com a agência de propaganda e FEMAMA. Como é certo, 2 + 2 não dá 5, não responderam, desta vez ambas. Então, reitero, busquei cada instituição local para redesenhar um trajeto correto do Rosamóvel em cada cidade atendida.

Desapontamento é uma palavra que cabe na relação que tive com FEMAMA. A última mensagem que recebi data de 8 de outubro, de modo lacônico diz o texto que minha mensagem será analisada pela instituição. E só! E porque o mundo gira em 24h e a rede gira muito mais rápido que o mundo, se eu esperasse a resposta de FEMAMA para fazer algo teria teria feito nada. E faço o Blog sem incentivos de quaisquer esferas. O estreito relacionamento de FEMAMA com o site Mulher Consciente me traz borboletas no estômago. FEMAMA e Mulher Consciente. Atitudes negligentes. Por isso não provoque, é cor-de-rosa choque! Alardear para os patrocinadores a tal questão em festa é um ponto importante. Evento e coquetel fica bem na TV, gera mídia espontânea. Já mulheres com câncer estão em bancos de hospitais públicos pedindo atenção, afeto, carinho. Para estas, o que sobra? O foco é só prevenção, entendo … 95% dos casos podem ser curados se detectados no início, dizem em ribomba. Ótimo. Então, qual porquê de não fornecerem o itinerário completo, com data, hora e local nem no site Mulher Consciente ou FEMAMA? É o primeiro é feito para divulgar fotos de eventos e personalidades?

Realmente, na minha pequena consciência combatente, não entendo a atitute das moças. E digo moças porque só fui respondido por duas mulheres e porque na página de FEMAMA encontramos apenas “Benefícios das Associadas”. É um lapso? Ou apenas elipse? Vou dar a saída para a instituição já que de semântica e léxico e revisão de texto não pontuam bem. Talvez “Associadas” faça menção a “Instituições”. Pronto. Não se trata apenas de mulheres. Porque a sociedade é feita de homens e mulheres, que, ambos, podem vestir-se em instituições. Mais ou menos profissionais.

Sem vagina e com mamas luto também pela questão da prevenção.

Anúncios