Muitos cientistas duvidam da existência de células-tronco do câncer, mas uma equipe de biólogos descobriu novidades sobre essas células, que poderiam ter uso terapêutico, informa um artigo publicado nesta quarta-feira.

De acordo com o texto, publicado pela revista Cell Stem Cell, pesquisadores das universidades de Michigan, Harvard e Pensilvânia e do Instituto Suíço de Pesquisa Experimental do Câncer revelaram o funcionamento interno de um sistema comum de sinalização de célula a célula.

As células-tronco do câncer são um subgrupo de células cancerosas que se encontram dentro de tumores no sangue, e que, segundo alguns pesquisadores, possuem características que normalmente se associam com as células-tronco.

Ao contrário da maior parte das células de câncer, acredita-se que as chamadas células-tronco do câncer podem formar tumores, se renovarem e se desenvolverem como diferentes tipos de células.

A descoberta tem implicações para um importante teste de medicamento para o câncer de mama, realizado na Escola de Medicina da Universidade de Michigan e em outras duas instituições.

No teste, os pesquisadores combinam a quimioterapia com um remédio que interfere sinalização Notch, que ajuda a regular o desenvolvimento do feto e está ativa na maioria dos sistemas de órgãos ao longo da vida de uma pessoa.

O objetivo é usar os chamados inibidores da sinalização Notch para o ataque contra as células-tronco do câncer, isto é, a pequena fração de células-tronco dentro de um tumor que o ajudam a sobreviver e que promovem seu crescimento.

A grande preocupação, porém, é que os inibidores, apesar de ajudarem na destruição das células-tronco do câncer, podem também matar ou causar danos às células-tronco normais e saudáveis, como as que formam o sangue na medula óssea.

Os novos resultados obtidos por Ivan Maillard e seus colegas de Michigan poderiam dissipar alguns destes temores.

Os pesquisadores mostraram que as células-tronco que formam o sangue em ratos podem sobreviver bem quando se bloqueiam experimentalmente a sinalização Notch.

Max Wicha, diretor do Centro Integral do Câncer na Universidade de Michigan, disse que os resultados obtidos por Maillard trazem boas notícias para os pesquisadores das células-tronco do câncer.

É realmente importante porque muito do que nos preocupa agora é a busca de formas de atacar estas células-tronco do câncer, porque pensamos que isso é o que realmente promove a malignidade” disse Wicha.

Porém, a teoria das células-tronco do câncer é controversa. Alguns pesquisadores não estão convencidos de que elas existem.

Fonte: Agência EFE para o Jornal do Brasil. Abril, 9, 2008.

O Blog Virgem em Câncer e Lua na Esperança! reúne sob diversas categorias e tags centenas de posts dedicados à busca da melhoria de qualidade de vida, e cura, de pacientes oncológicos, bem como prevenção. Contudo não trata o Blog do que não lhe é pertinente: fazer o papel de médicos especialistas. Procure sempre um especialista da área que busca informação. Informação é sempre a melhor ferramenta. Converse com seu médico.